As pequenas gentilezas que salvam o mundo


Minha mãe vai completar 83 anos de idade em abril. Ela é lúcida, ativa, inteligente, engraçada e uma inspiração pra mim.


Ontem, como faço muitas vezes, eu a chamei pra vir em casa me dar uma força com as minhas filhas, porque a Karina havia saído. Ela sempre que pode vem, porque ela adora ajudar, sempre adorou. Minha mãe é aquele tipo de pessoa que divide o que tem, mesmo quando tinha quase nada. E se enche de alegria de ajudar os filhos, netos e bisnetos.


Pois bem, como sempre fazemos, ela me avisa por WhatsApp quando está pronta e eu chamo o Uber. Eu aviso o motorista que é uma senhora que ele vai buscar, e o rapaz me dá um ok e faz a viagem. Ela chegou em casa, conversamos um pouco e voltei ao trabalho, enquanto ela foi fazer um almoço pra nós.


Passou o dia, as meninas chegaram da escola, almoçamos, ela ficou de boa com elas (sempre fazendo alguma coisa porque ela não para!), e no final da tarde ela foi voltar pra casa dela. Chamei um Uber, nos despedimos e lá foi ela. Acompanhei a viagem pelo aplicativo, tudo certo, ela chegou.


Mas dali a um pouco, ela me liga e me fala: "Paulo, vê se deixei a chave de casa aí, não consigo encontrar!" Ela estava na casa do vizinho, que emprestou internet para ela. Eu e as meninas reviramos a casa e nada. Ela devia ter perdido no Uber. Aí começou um mini drama. Ela chamou uma das minhas irmãs que mora lá perto, pois ela tinha uma cópia da chave do portão. Entraram no quintal, mas as chaves escondidas, nenhuma era da porta da sala! Ela não conseguia entrar!


Entrei em contato com o motorista, que a trouxe e se chama Acácio,. Ele confirmou que a chave estava com ele, mas estava no trabalho em Osasco (um município vizinho de São Paulo), e como era dia de rodízio do carro, só sairia depois das 20h.


Como iria demorar, chamei um Uber e minha mãe foi para a casa da minha irmã, para poder jantar e esperar. Passei o endereço dela para o Acácio e sugeri que ele pegasse minha mãe e a levasse pra casa, e eu pagaria a corrida. Ele disse pra eu ficar tranquilo e ficamos aguardando o horário. Ele foi até a casa da minha irmã, entregou a chave para minha mãe e a levou até em casa.


Eu insisti que ele me passasse a conta bancária para eu fazer um depósito, mas ele disse que tudo bem, estava tudo certo. Com o preço dos combustíveis tão altos, eu sei que qualquer desvio de rota não sai barato e esse rapaz assumiu todo esse custo pra fazer o bem pra minha mãe.


Eu acredito demais que o mundo se torna cada dia melhor, por causa de coisas desse tipo. Parece que a maldade está em alta porque ela choca e vende mais notícias do que as coisas boas. Se tivermos estômago de ficarmos felizes com a felicidade alheia, seremos capazes de ver que tem muita gente fazendo o bem sem olhar a quem, despretensiosamente. Como minha mãe, que veio me ajudar, o vizinho dela que a acolheu, minha irmã que foi até ela, o motorista d Uber que devolveu a chave e a levou pra casa. Isso tudo num só dia.


Gente, não precisa ser sempre um gesto gigantesco. Pequenos gestos como esses, que transformam as vidas das pessoas. Pequenas atitudes, poucas palavras verdadeiras e bondosas, pequenas gentilezas, somadas uma a uma, são a grande chave da transformação do mundo. Cabe a cada um de nós praticá-las e reconhecê-las no nosso dia a dia.


Hoje, dia 8 de março de 2022, dia internacional da mulher, em meio a uma guerra que tende a nos engolir, causada por homens que vivem de medo e mesquinharias, rezo a Deus para que possamos escolher melhor nossos líderes. Não vai ser uma mulher qualquer que vai ajudar, a gente sabe que não, a gente viu que não. Já tivemos uma mulher sem energia feminina na presidência, e hoje há outra num ministério humano que só cuida de quem é igual a si. Não, não é qualquer mulher que vai mudar o mundo. Mas vai ser sim uma mulher, em paz com a sua feminilidade e a força da sua essência de bondade e gentileza, seu instinto materno de cuidar de todas as pessoas como filhos, de cuidar de todo o país como cuida de sua casa. Uma mulher com aquele jeito de professora inspiradora que ensina de um jeito que a gente quer aprender.


O mundo não precisa de um pai salvador ou provedor. Há muito dinheiro e comida. O mundo precisa de uma mãe zelosa e bondosa, para educar os homens, distribuir de forma justa o que existe, acolher as mulheres e nos ensinar a cuidar da nossa comunidade, cidade, estado, país e planeta, como devemos cuidar da nossa casa.


A salvação do mundo está em cada gentileza que fizermos. A salvação do mundo está em aprendermos a apreciar a bondade e felicidade alheia. A salvação do mundo está em cuidarmos uns dos outros.


Vamos salvar juntos o mundo hoje?


Feliz dia internacional da mulher!

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo